Em sua vida na floresta enfrentou raios e ventanias. Abatido pelo machado um dia, deixou de ser árvore, e virou madeira… Seria transformado e viver no mundo dos homens. Qual nova existência teria? Ia ser porta, mesa ou cadeira? Mastro de navio ou piano?112198146SZ

Comprado num armazém, descobre que virou um simples cabo de vassoura. Solidário com sua cara metade – a vassoura propriamente dita, a quem coube o destino ainda pior de enfiar a cara no lixo – esse adorável e bem-falante cabo de vassoura cumpre um destino que não escolheu, sem perder jamais a esperança, até encontrar um amigo que muda sua vida de maneira mágica e inesperada.

“Memórias de um Cabo de Vassoura”, de Orígenes Lessa, com ilustrações de Avelino Guedes. Global Editora, 104 páginas.

Texto para leitura_Memórias de um cabo de vassoura

Tentação- Clarice Lispector

O conto Tentação de Clarice Lispector narra um encontro de olhares basset-hound4entre uma menina com soluço, sentada à frente de sua casa em um dia de calor e um cão. Encontram-se numa pequena cidade e essa paixão dura o tempo do cão virar a esquina com sua verdadeira dona…

Texto para leitura_TENTAÇÃO_Clarice Lispector

untitled
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
“Está alta no céu a lua e é primavera.
Penso em ti e dentro de mim estou completo.
Corre pelos vagos campos até mim uma brisa ligeira.
Penso em ti, murmuro o teu nome; não sou eu: sou feliz.
Amanhã virás, andarás comigo a colher flores pelos campos,
E eu andarei contigo pelos campos a ver-te colher flores.
Eu já te vejo amanhã a colher flores comigo pelos campos,
Mas quando vieres amanhã e andares comigo realmente a colher flores,
Isso será uma alegria e uma novidade para mim.”
 

ESCOLA SER FREGUES

Mafalda e seu amigo de escola discutem no corredor sobre uma questão muito comum ao longo do ano letivo.

Leia a tirinha da Mafalda e faça uma reflexão.

Como todos os outros, ele nascera madeira. Um simples cabo de vassoura, que, exatamente por ser simples, sentia e ouvia, falava e não era ouvido senão por aqueles que lhe eram mais próximos e semelhantes.112198146SZ

Pobre e sofrido cabo de vassoura, em cavalo transformado, carente de afeto na hora da despedida, da mudança, no receio de ser trocado por brinquedos mais modernos.

Um cabo de vassoura um tanto humano…e quase sempre melhor que muita gente…

“Numa longínqua área de pesca da baía dos Tubarões, no oeste da Austrália, saímos de nossas barracas, caminhamos para a golfinhos-7279praia e esperamos o presente que vem a cada manhã”.

Texto para leitura_O presente que vem a cada manhã

Dalton Trevisan (1925) é autor de uma das obras mais originais da literatura brasileira. Com sabor de paradoxo, essa originalidade foi9788508108114 conquistada através da recorrência obsessiva de temas, de personagens, de situações e de uma fidelidade quase perfeita à forma do conto.

Com sabor de paródia, Quem Tem Medo de Vampiro?, reunido em Dinorá (1994), talvez seja um ponto de partida conveniente. Pelo avesso, o conto oferece um retrato da literatura (e mesmo de aspectos da biografia) de Dalton Trevisan. O texto incorpora satiricamente as ressalvas mais comuns feitas a seu estilo, transformando em matéria ficcional a incompreensão de certos críticos.

Vale à pena conferir!

Quem tem medo de vampiro?
 
Autor- Dalton trevisan
Editora- Ática

Nuvem de tags

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: